No último dia 25 de Julho aconteceu em San Francisco, no hotel Intercontinental, o evento Deciphering IoT e a Konker esteve presente no evento.

A Internet das Coisas é uma das áreas de crescimento mais destacadas por todos os analistas de TI. Na verdade, qualquer previsão comercial importante para os próximos anos inclui IoT de uma forma ou de outra.

O evento Decifrando a IoT explorou como a Internet das Coisas tornou-se a força motriz por trás da melhoria da eficiência de empresas, gerando oportunidades de receita e resolvendo problemas de negócios em várias indústrias e em todas as áreas funcionais de negócios. Além disso, foi importante para a Konker fortalecer a sua rede de parceiros e estar cada vez mais presente no ecossistema mundial de IoT. Durante o evento foram abordados assuntos relevantes como a criação de valor em IOT utilizando realidade aumentada, segurança e modelos de monetização.

Nosso Head de Produto & Marketing, Rafael Ferraz, destacou o ciclo de vida de um projeto IoT como um dos principais temas do evento. “O desenvolvimento de aplicativos e dispositivos para IoT possuem desafios únicos. Antes de iniciar um projeto IoT, as empresas devem planejar todo o ciclo de vida, desde o design até o end of life.”, comenta Ferraz.

Durante este painel as empresas discutiram todo o ciclo de vida do projeto IoT: construção, teste, implementação e gerenciamento de aplicativos IoT. Além disso, compartilharam dicas para agilizar e acelerar o processo de desenvolvimento.”Compreender os desafios que você pode enfrentar em cada estágio do ciclo de vida e como abordá-los é fundamental para um projeto IoT bem-sucedido” complementa Rafael Ferraz.

No último dia 29 de junho, participamos do IOT Business Fórum, que aconteceu em São Paulo e reuniu grandes empresas para discutir a aplicação da internet das coisas nos mais diversos segmentos.

Dentre os principais temas discutidos no evento, o destaque foi o amadurecimento das soluções criadas. A preocupação, que antes era apenas conectar dispositivos, mudou para o desenvolvimento de soluções que realmente atendam às necessidades das pessoas e das empresas, tornando essas coisas de fato inteligentes com o uso de AI.

Neste contexto, nosso Head de Produto e Tecnologia Wellington Mariusso apresentou uma palestra sobre “Como inovar em um mundo cada vez mais conectado” provocando os participantes a pensarem em como criar soluções que sejam relevantes para as pessoas e quais aspectos levamos em consideração na Konker quando estamos desenvolvendo nossas soluções. Além disso, demonstramos algumas soluções reais utilizando a Platafoma Konker.

Confira algumas fotos do evento.

 

35553368892_d8e3af0c40_z 35682601306_b8c01f7f1c_z 35722169365_00f9a76188_z 35722369095_c3c1be89df_z IMG_2150

Fotos: TI Inside e Konker

O Internet of Things World 2017, foi realizado no Centro de Convenções de Santa Clara, no coração do Vale do Silício, entre os dias 14 e 17 de maio. O evento reuniu centenas de empresas e líderes no espaço IoT. Com um novo visual para 2017, foram 3 dias de aprendizado, descoberta, festas e redes, é claro. Também estavam no evento mais de 150 startups e 250 expositores. E claro, destacamos aqui em nosso blog os 8 principais pontos chaves discutidos no evento.Continue reading “Internet of Things World 2017”

Um artigo publicado recentemente na IoT News destacou as principais vantagens para pequenas e médias empresas com o uso de dispositivos conectados. E eles não são poucos. Por exemplo, a massificação de smartphones e smartwatches. Esses dispositivos geram e armazenam dados de várias especialidades e podem influenciar até mesmo as operações de negócios, e está disponível para todos os empreendedores.

Soluções de software baseadas em nuvem podem ajudar em muito proprietários de pequenas empresas, como por exemplo, reduzindo significativamente custos de infraestrutura, melhorando o fluxo de trabalho e fornecendo um método mais seguro para gerenciar dados através de dispositivos móveis. Outra sugestão é não ter medo de usar automação e inteligência artificial, ferramentas que podem economizar tempo valioso antes utilizado em pequenas tarefas. O serviço ao cliente, por exemplo, é uma área que pode ser altamente melhorada, usando chatbots. Nesse cenário, o cliente pode ser respondido mais rapidamente e os logs de conversas permanecem armazenados e podem ser usados ​​como referência para o negócio no futuro.

No entanto, é essencial que a solução de IoT funcione integrada com as tecnologias já utilizadas no seu dia-a-dia. Uma solução integrada oferece aos proprietários de pequenas e médias empresas uma visão muito mais abrangente e inteligente do negócio, além de melhorar a comunicação com funcionários, clientes e fornecedores.

 

Sobre a Plataforma Konker: A Plataforma Konker permite criar soluções para os mais diversos segmentos como varejo, indústria, logística e agricultura. Além de oferecer gestão de dados em tempo real, ela suporta todas as tecnologias de conectividade e permite o gerenciamento de múltiplos dispositivos.

Fale com a gente para saber como podemos impulsionar o seu negócio.

 

Esta semana foi muito gratificante. Estivemos, dos dias 24 ao dia 27 de abril participando da QCon São Paulo, que é uma das maiores conferências independentes de software do mundo. Ao longo destes três dias, diversos participantes estiveram em nosso estande conhecendo um pouco mais sobre a Plataforma Konker e descobrindo como podemos ajudar os desenvolvedores a construir ou aperfeiçoar suas soluções IoT.

Os participantes puderam ver como a Plataforma Konker facilita a conexão entre dispositivos e serviços externos, através de exemplos de aplicações IoT, como a integração de sensores de presença conectados a plataforma, exibindo em tempo real os movimentos detectados no ambiente, e enviando uma resposta a um serviço externo de bot.

Um dos destaques foi a palestra no nosso head de tecnologia e produto, Wellington Mariusso, com o tema IoT e o terceiro consumidor: criando serviços para dispositivos limitados. Foi um momento muito importante, para troca de experiência com os desenvolvedores e assim, continuarmos a desenvolver uma plataforma mais eficiente para que as pessoas possam criar as suas soluções.

E para saber mais, acesse aqui a Plataforma Konker ou se preferir, faça um pull na versão Docker.

Muito obrigada, QCon! E até a próxima edição.

edit-1878 edit-1920 edit-1944-2 edit-1988 edit-2019 edit-2053

A Konker patrocina a QCon; Principal conferência que reúne, em São Paulo, desenvolvedores de softwares profissionais. O evento acontece de 24 a 26 de abril, no Centro de Eventos PRO MAGNO, e que reúne líderes técnicos, arquitetos, gerentes de TI e desenvolvedores sênior.

Durante os três dias de conferência, serão mais de 90 palestras, distribuídas por 12 trackers, ou trilhas de conhecimento, 3 keynotes internacionais. Wellington Mariusso, Head de Tecnologia e Produto da Konker, estará a frente da palestra IoT e o terceiro consumidor: criando serviços para dispositivos limitados, que acontece no dia 25 de abril, às 14:40.

O foco da discussão será compartilhar com o público a experiência da Konker que, nos últimos dois anos, atua na construção de arquiteturas e soluções IoT lidando com desafios de escalabilidade, interoperabilidade, processamento distribuído, analytics e segurança. Nesta palestra apresentaremos como temos lidado com esses desafios, alternativas que usamos para contorná-los e como levar tais questões em consideração no desenho dos serviços e na escolha das tecnologias.

“A internet atual disponibiliza serviços principalmente para dois tipos de consumidores: pessoas (através de browsers e apps mobile) e aplicações (através de APIs padronizadas). A Internet das Coisas apresenta um desafio diferente; traz um novo tipo de consumidor de serviços: dispositivos sem tela e com recursos limitados. Embora à primeira vista pareça que as APIs sejam suficientes, tais dispositivos frequentemente têm limitações que vão além de questões mais óbvias”, afirma Wellington Mariusso.

A Konker conta ainda com um estande, em que receberá os visitantes para apresentar sua plataforma de internet das coisas e algumas de suas possibilidades para empresas e desenvolvedores.

Para saber mais sobre a QCon 2017, acesse o site do evento: http://qconsp.com/

A Internet das Coisas é um recurso capaz de facilitar nossa vida diária, permitindo que façamos, de forma absolutamente eficiente, uma série de atividades que jamais imaginávamos. Mas, como não poderia deixar de ser, o lado bom da moeda traz também o seu revés: quanto mais coisas conectadas, maiores as oportunidades de ataques, roubos e interferências nas informações geradas.

Por isso, segurança, privacidade e controle de acesso vêm sendo questões constantemente discutidas no que se diz respeito à Internet das Coisas, tornando-se uma das maiores preocupações e, consequentemente, um dos maiores entraves na adoção de soluções de IoT pelas empresas. Uma alternativa são as plataformas, que permitem conexões diretas e seguras entre dispositivos, que já são uma realidade.

Nesse cenário, as plataformas de IoT permitem uma proteção mais rigorosa da cadeia de geração, armazenamento e transação de dados; incrementos importantes em sistemas de segurança off the shelf; controles de acesso, autenticação e autorização a usuários, aplicativos e dispositivos e, claro: um gerenciamento rápido, especializado e personalizável de cada um desses recursos para atender qualquer necessidade – um aspecto que, dentre muitos outros, confirma uma plataforma como melhor alternativa aos sistemas de IoT operados in house.

Apesar da Internet das Coisas apresentar múltiplos desafios de segurança, com o apoio de agentes, como o governo, indústrias de alta tecnologia e profissionais da área, esses desafios estão sendo vencidos. Uma das opções que também tem sido bastante discutidas, é a utilização de tecnologias de blockchain, para melhorar a segurança nas soluções de IoT.

A Plataforma Konker proporciona segurança para proteger serviços, dados e usuários. Quer saber como ela pode ajudar seu negócio? Fale com a gente!

Não é nenhuma novidade que as novas tecnologias de aprendizagem de máquinas e com poder para analisar grandes quantidades de dados, criaram oportunidades únicas na indústria de comércio eletrônico. Graças aos aprimoramentos orientados a dados para anúncios, upselling e cross-selling, os compradores on-line são capazes de obter “o que eles querem, quando eles querem”.

Essa transformação teve um impacto direto na eficiência do negócio, gerando mais vendas e melhorando a satisfação do cliente. Mas também ampliou a lacuna entre negócios físicos e on-line.

No entanto, o uso da Internet das Coisas (IoT) pode ajudar a diminuir esta lacuna e a superar outros desafios. Graças aplicativos móveis, microprocessadores e à conectividade onipresente na Internet, os dispositivos inteligentes podem ser implantados em todos os lugares e em tudo, desde sistemas de ponto de venda, controle de estoque, distribuição e até vestuários. Novas tecnologias permitem que os varejistas coletem e analisem dados, para que possam interagir com cada cliente de uma maneira original e personalizada, como nunca antes foi feito. Apesar do mercado atualmente apresentar muitas ofertas de produtos e serviços com este fim, poucas estão sendo aplicadas realmente na prática.

Neste artigo, eu quero abordar somente alguns benefícios da Internet das Coisas para eficiência na operação do varejo.

1. Gerenciamento da cadeia de suprimentos e inventário

Problemas de gerenciamento de estoque representam algumas das maiores despesas e perdas nas lojas de varejo. De acordo com um relatório da McKinsey, distorções de estoque (overstock, stockouts e shrinkage) geram um custo anual de US$ 1,1 trilhões para os varejistas em todo o mundo. Só nos EUA, o shrinkage gera anualmente um prejuízo de US$ 42 bilhões, o que equivale a 1,5% das vendas totais no varejo.

Com tecnologias IoT, os varejistas podem não apenas melhorar o controle de estoque dentro da loja, mas também expandi-lo para a cadeia de suprimentos. O rastreamento de mercadorias já não começa na doca de recepção mas no ponto de fabricação.

2. Melhoria na cadeia de suprimentos

Com etiquetas RFID por exemplo, colocadas nos produtos e com os dados integrados aos de sensores nos veículos de transporte, é possível rastrear os produtos comprados e suas condições em toda a cadeia de suprimentos. As informações coletadas dos dispositivos podem ser analisadas e as notificações e alertas baseadas em regras podem ser enviados para aplicativos móveis por exemplo, informando aos funcionários ou membros da equipe, que uma ação deve ser tomada.

O aperfeiçoamento neste controle permite que os fornecedores reduzam danos ao produto durante todo o trajeto aos pontos de venda, distribuição ou entrega. Isso é especialmente útil no transporte de estoque perecível e sensível à temperatura, por exemplo.

3. Melhorando o acompanhamento de inventário na loja

Outro grande problema enfrentado no varejo é a dificuldade de realizar um rastreamento de inventário preciso. Com isso, as prateleiras das lojas não são repostas a tempo; Itens são trocados de prateleiras; Clientes e funcionários não são capazes de localizar itens que estão procurando. Os resultados são maiores custos de inventário, perda de produtividade dos funcionários, prateleiras potencialmente vazias e oportunidades de vendas perdidas.

Tecnologias IoT podem ajudar a enfrentar esses problemas, dando mais visibilidade para a localização de itens de estoque e melhorando os controles. Ao implantar um sistema de gerenciamento de inventário baseado em chips RFID, sensores e beacons, por exemplo, os recursos físicos podem ser sincronizados diretamente com os seus sistemas backoffice. Tecnologias adicionais, como sensores de prateleira de lojas, etiquetas de preço digital, monitores inteligentes e câmeras de alta resolução, combinadas com recursos de análise de imagem, podem ajudar a melhorar o controle dos varejistas em bens localizados nas prateleiras e no back storage.

4. Reduzindo o shrinkage e fraude

Shrinkage e fraude são outros desafios sempre presentes no varejo, seja por parte de clientes ou funcionários. IoT pode ajudar a conter o roubo de itens, adicionando uma camada de visibilidade e rastreabilidade para itens de inventário. Seja com RFIDs e feeds de câmeras combinados o aprendizado de máquinas podem apresentar visão mais clara do que acontece na loja, e detectar movimentos suspeitos, por exemplo.

5. Otimização na distribuição e reposição dos produtos na loja

Descobrir como os clientes “navegam” pelos corredores, prateleiras e ilhas da loja é uma informação valiosa. Antes das tecnologias IoT, isso era feito através da observação humana, suposições, experimentação aleatória e correlação manual de vendas.

Atualmente, através de dados coletados de chips, sensores de detecção de movimento, beacons ou análises de vídeo por exemplo, é possível coletar dados mais precisos dos padrões de movimento do cliente e identificar áreas de tráfego “premium”. As alterações nos layouts de lojas podem ser correlacionadas automaticamente com as mudanças de comportamento do cliente e os números de vendas, a fim de realizar testes A / B mais precisos, o que só era possível no varejo online.

6. Otimização dos funcionários na loja

Ser assertivo na identificação das necessidades de cada cliente no tempo certo, é um fator importante no fechamento de vendas. Isso pode melhorar as taxas de conversão. O problema é que em muitos casos, além da falta de funcionários para dar assistência para tantos clientes ao mesmo tempo, a presença de um vendedor pode ser mal interpretada e considerada ofensiva pelos clientes.
IoT pode ajudar a lidar com este problema. Sensores de detecção de movimento, câmeras e algoritmos de reconhecimento de expressão facial podem ajudar a identificar clientes que estiveram de pé muito tempo em um local e estão manifestando algum tipo de dúvida. O ecossistema IoT pode então notificar um funcionário de vendas que esteja mais próximo por meio de um aplicativo ou smartwatch, por exemplo.

Estes são apenas alguns exemplos da adoção de soluções IoT para maximizar a eficiência operacional no varejo. Iremos detalhar aqui no blog, exemplos de soluções para cada um dos problemas abordados neste artigo.

Gostaria de conhecer mais sobre as soluções da Konker? Clique aqui.

O Mobile World Congress 2017 foi um sucesso, como sempre. É claro que o tema Internet das Coisas esteve presente e muitos casos de uso real de IoT foram discutidos. Compartilho aqui com vocês, 3 tendências que achei relevante este ano.

1. Segurança IoT

A segurança continua sendo uma prioridade quando o assunto é IoT, especialmente com os recentes ataques DDoS de IoT e outras violações de alto nível. Um ótimo painel intitulado “Habilitando a Segurança em IoT”, organizado por Stuart Carlaw da ABI Research, se concentrou em ajudar o público a entender o cenário de segurança completo do IOT e o que precisa ser feito para garantir a segurança em seus serviços de IoT. Se quiser, dê uma olhada em nosso outro artigo no blog sobre segurança do IoT. Clique Aqui

2. 5G

A indústria tem falado sobre 5G há algum tempo, e as discussões continuaram a ganhar impulso este ano com prestadores de serviços focados em anunciar avanços significativos para 5G, em como eles se reúnem para trabalhar na padronização de 5G. O destaque ficou para a Korea Telecom que anunciou que pretende ser a primeira rede 5G comercialmente disponível em 2019.

3. Redes de longa distância e baixa potência (LPWANs)

Tecnologias LPWAN como LoRa e Sigfox, sem licenciamento, tiveram destaque em edições passadas do MWC. Este ano o foco principal foi em tecnologias licenciadas, particularmente NB-IoT. Destaque para o 3GPP que completou sua padronização de NB-IoT, e um grande número de prestadores de serviços anunciaram que pretendem apoiar NB-IoT.

A LTE-M também teve bastante destaque, com dezenas de provedores de serviços fazendo anúncios sobre sua disponibilidade de LTE-M. A Telefonica e a Verizon por exemplo, confirmaram o seu apoio à implantação global da LTE-M.

Quer ficar por dentro de mais notícias? Assine a nossa newsletter clicando aqui!