Empresas com melhores indicadores de segurança na internet tendem a ser mais bem vistas pelos consumidores. Apesar de ser uma afirmação óbvia, nem todas as empresas se atentam a esta questão antes de avançar seus investimentos na área de tecnologia. E não apenas o fator financeiro pesa nesta balança, como também a privacidade dos usuários.

Contudo, em função da alta demanda da internet e das redes de contato via web como formas de comunicação nos dias atuais, garantir a proteção de dados e de informações pessoais continua sendo um desafio, mesmo nos sistemas mais avançados e consolidados – com a Internet das Coisas isso não é diferente.

O veloz e certeiro amadurecimento de soluções geradas por desenvolvedores de Internet das Coisas já tornou viável a criação de plataformas que permitem conexão direta entre dispositivos através da rede e de forma segura.

Prova disso é o discurso de Oh-Hyun Kwon, vice chairman e CEO global da Samsung, que já confia na Internet das Coisas não apenas como uma revolução de eficiência empresarial, mas também de transformação da vida de toda a sociedade. Esta é uma excelente notícia, pois agora os desenvolvedores têm ao seu lado também as grandes fabricantes, o que certamente leva a segurança da IoT a um patamar ainda mais alto de confiabilidade.

Outro ponto importante para que se atinja um patamar desejável de segurança na IoT está na boa compreensão das funcionalidades destas plataformas por parte dos usuários – seja este um funcionário dentro de uma empresa, seja o consumidor final. É preciso ter em mente que nenhuma plataforma é segura se não contar com a atenção e o cuidado do próprio usuário.

Dentro das empresas, contar com um departamento preparado de TI é outro ponto indispensável para que a real experiência da Internet das Coisas seja bem-sucedida e eficaz – nunca é demais lembrar que instituições bem preparadas para lidar com esta nova tecnologia tendem, no futuro, a se tornar referências ao público, gerando assim o tão sonhado engajamento com marcas e produtos.

É preciso ter em mente que a segurança na internet é uma preocupação constante e que por mais que toda tecnologia encontre, sim, suas limitações, a Internet das Coisas já se concretizou como a nova possibilidade de recriação do universo virtual.

O surgimento de novas plataformas, como as da Konker, possibilita um cenário que permite o controle mais rigoroso, automatizado e, consequentemente, com menos falhas durante seu processo.

Gostaria de conhecer as soluções da Konker mais a fundo? Clique aqui.

Como você leu nos posts anteriores, é a Internet das Coisas (IoT) que permite que  tudo possa ser conectado. Tudo mesmo! Objetos e até o seu negócio – seja ele na área de indústria, varejo, agricultura, logística, segurança e muitos outros setores –podem estar 100% conectados à internet, monitorados e controlados à distância, 24 horas por dia.

Neste post, você conhecerá um pouco mais de alguns desses setores nos quais a IoT pode ser uma ferramenta estratégica e gerar novas oportunidades.

Indústria – utilizar sistemas de localização em tempo real, sensores de segurança, códigos de barras e GPS dentro nas fábricas já é possível. Neste contexto, a Internet das Coisas poderá ser aplicada de algumas maneiras, como, por exemplo, criando um sistema de operações especialmente desenhado para atender às demandas de uma linha de produção ou de toda a planta. Outra forma de aplicação é na integração de resultados de produção com feeds ou relatórios em tempo real, por meio de um aplicativo ou em uma página da Web.

Logística – Com a solução de IoT no setor de logística, é possível monitorar em tempo real a carga e o veículo que a transporta, desde sua origem até o destino final. Além disso, com soluções conectadas você poderá saber o estado de armazenamento dos produtos (umidade, temperatura), condições climáticas que possam interferir na entrega final, entre outros benefícios.

Ambientes Inteligentes – uma casa ou empresa inteligente. Isso já é possível fora das telas do cinema! O sistema de monitoramento da casa funciona em conjunto com o GPS e entende quando as pessoas estão por perto ou distantes e instantaneamente se prepara para recebê-las, ligando as luzes, aprontando a comida, entre outras coisas. Vamos um pouco além! Com a Internet das Coisas, é possível viabilizar uma cidade inteira inteligente, onde as luzes das ruas se apagam ou acendem de acordo com a atividade da população no local.

Agricultura – com a IoT, é possível diminuir o desperdício no setor da agricultura, gerenciar e monitorar equipamentos, facilitando processos de produção. Sensores podem ser usados para monitorar temperatura do ar, do solo, velocidade do vento, umidade, probabilidade de chuva, umidade das folhas, entre outros. Agricultores podem melhorar os rendimentos utilizando estes dados para ajustar horários, quantidades de irrigação e períodos de colheita.

Segurança – ter um ambiente seguro e monitorado sem a necessidade de investir muito dinheiro é uma realidade que muitas empresas estão conhecendo.  Por meio da IoT, é possível controlar remotamente as câmeras em tempo real, ter o registro de entrada/saída e permanência no local, ser notificado em caso de invasões etc.

Viu só? As possibilidades no universo IoT são inúmeras. Quer conhecer melhor as nossas soluções e as diversas formas de aplicação que a Konker oferece,  clique aqui para uma demonstração ou entre em contato conosco!

 A Konker participou da maior conferência de Internet das Coisas do mundo, a IoT World 2016, realizada em Santa Clara – Califórnia, entre os dias 10 e 12 de maio. A terceira edição do evento atraiu aproximadamente 15 mil pessoas, entre elas empresas que atuam com soluções de IOT, expositores e palestrantes. De acordo com a IoT Analytics, alguns temas foram destaques durante o evento, confira alguns deles abaixo:

  1. Segunda onda de IoT – vários painéis de discussão foram apresentados durante o evento para introduzir o que seria a segunda onda da Internet das Coisas. Entre os assuntos, foi destacado que a indústria da Internet das Coisas não é apenas para conectar “coisas” (onda #1), mas para realmente desenvolver modelos de negócios baseado na Internet das Coisas (onda #2).
  2. A Segurança na Internet das Coisas está sendo reconhecida como parte do processo – uma percepção bastante importante é a de que o tema voltado a Segurança na Internet das Coisas parece estar recebendo mais atenção e discussões aprofundadas. Segurança não é mais vista como uma reflexão inconveniente, mas sim como elemento central de qualquer solução de Internet das coisas.
  3. Construindo algoritmos como um ativo – Várias discussões durante o IoT World abordaram onde são gerados valor e lucro, além de quem são os maiores beneficiados. Clique aqui e conheça mais sobre as soluções da Konker.