As cidades inteligentes já estão se tornando uma realidade em nosso cotidiano. E a Internet das Coisas é a grande responsável por esta revolução. Hoje falaremos mais sobre as soluções conectadas que já estão mudando as nossas vidas. Se ainda não leu a primeira parte, clique aqui!

Iluminação inteligente
Devido a sua crescente demanda, a eletricidade é um recurso cada vez mais caro. Todo tipo de desperdício, ainda mais no contexto das grandes cidades, gera enormes gastos. Como o clima é dinâmico, especialmente em cidades com grande amplitude térmica, a iluminação artificial pode ser exigida mais cedo ou mais tarde.

Por meio de sensores, hoje a tecnologia é capaz de não apenas adaptar a iluminação de uma cidade por seu grau de luminosidade natural, como também prever demandas mais altas ou mais baixas de acordo com a previsão do tempo. Essa já é uma realidade que está presente não apenas em cidades, como também em empresas e residências.

Melhor qualidade do ar
As emissões de CO2 são assuntos recorrentes na agenda de qualquer cidade do mundo. Como uma ferramenta baseada essencialmente em eficiência e economia de recursos, a Internet das Coisas pode ajudar não apenas a identificar, como a reduzir estes índices.

Estudos apontam que apenas na Indústria, a Internet das Coisas promoverá a redução da queima de combustíveis e o melhor aproveitamento de recursos energéticos. Aliás, toda a cadeia de consumo pode ser otimizada. Com mais eficiência no processo de transporte de mercadorias e na produção com a agricultura de precisão, não há apenas redução de emissão de CO2, como também o aumento da lucratividade das empresas.

Vazamentos de água
Assim como a energia elétrica, a água potável é essencial a qualquer sociedade, ainda mais em grandes centros urbanos. Gestores públicos sabem como este recurso natural, cada vez mais escasso, custa caro para ser captado ou produzido. Acontece que a água própria ao uso muitas vezes é desperdiçada antes mesmo de chegar ao seu destino final.

Infraestruturas antigas dão margem a vazamentos. Contudo, a tecnologia envolvida na Internet das Coisas é capaz de alertar os eventuais defeitos antes que ocorram e também demonstrar onde é preciso realizar reparos. Sensores podem captar dados e analisar, por exemplo, presença anormal de líquidos fora de tanques e variações de pressão da água ao longo de encanamentos.

Isso é apenas o começo de uma “revolução inteligente”. Por meio de soluções conectadas, a Internet das Coisas ajudará as cidades e as empresas a se tornarem prontas para este novo mundo.